13 de mai de 2014

(Resenha) Assuntos Inacabados - Lee Kravitz

Título: Assuntos Inacabados
Autor: Lee Kravitz
ISBN: 9788525050359
Editora: Globo
Número de Páginas: 252





Você já imaginou se existisse uma máquina do tempo onde pudéssemos voltar ao passado? E mais: consertar um acontecimento equivocado no passado ou algo que gostaríamos de ter feito e não o fizemos?
Pois é, esquece! Seria viagem demais esperar isso, hahaha. Ainda que, com toda a evolução da tecnologia, isso não seria possível. Mas quanto aos assuntos pendentes do nosso passado é possível, sim, consertar, mas no presente! E é isso que Lee Kravitz nos prova ao escrever e nos presentear com o livro: "Assuntos Inacabados".



O livro conta a história do autor, o personagem principal é o próprio Lee Kravitz.
Tudo começa quando, aos cinquenta e quatro anos, no auge da carreira e do profissionalismo, Kravitz, jornalista, workaholic é demitido. Ele, então, se sente traído, humilhado e constrangido. Quem não ficaria? 
No decorrer das semanas seguintes a sua rotina passou de correria constante a acordar tarde e relacionamento sério com o ócio.
Ele só pensava, vingativamente, em como isso poderia ter acontecido e quem seriam os responsáveis por tal atitude. Sobre planos? Ele não tinha nenhum. Estava totalmente sem rumo.

Após um inesperado acontecimento, ele decide que vai dedicar os próximos 365 dias para ir em busca da felicidade, e dessa forma valorizar mais as coisas, privilegiando as amizades e se conhecer melhor, porém a questão era: Como?
A resposta veio em caixas, dez caixas despachadas do seu antigo local de trabalho, que guardara por décadas anteriores. Nesse monte perfeito de lembranças, ele encontra artigos e materiais de sua vida que o faz perceber quantos acontecimentos ele deixou passar frente aos seus olhos, tudo por causa do sua ambição em obter êxito na sua carreira. Ele perdeu o enterro de sua avó querida, perdeu contato de amigos, momentos familiares, lazer, e muitas outras coisas. Para correr atrás do tempo perdido ele fez uma lista de dez itens (tipo as listinhas que fazemos de metas anuais?) que precisavam ser resolvidos, acontecimentos, contatos, atitudes, e se deu um prazo de um ano pra cumpri-los. Nesse tempo ele vive os mais intensos momentos de sua vida. Muitas aventuras, emoções, descobertas e revelações. 
Imaginem: Um ano pra se viver tudo o que não viveu em 54 anos. Desafiante, né?

Eu confesso que demorei muito pra ler esse livro, o formato da história é cansativo e repetitivo, às vezes, mas a mensagem é linda e vale muito a pena ler, muito mesmo.

Ele nos faz pensar em quão necessário é abrir nossas caixas empoeiradas e reviver lembranças, momentos de nostalgia e valorizar pessoas, sentimentos, a vida e sua essência. E não custa nada, exige tão pouco de nós que só basta uma ligação, uma surpresa, um e-mail, um convite. Pense nisso!

"Mas você não escreveu em seu livro que 'obrigado' era uma das palavras e expressões que devem nortear nossa vida, juntamente com 'estou errado' e 'peço desculpas'?"


Um comentário: